domingo, 20 de março de 2011

Homenagem ao Dog Léo

Recebi esse vídeo da Renata. É uma linda manifestação de carinho prestada ao inesquecível Dog Léo. 
Vale a pena conferir.

quinta-feira, 17 de março de 2011

O cão também tem sentimentos

cao_nao_quer_comer 
Pesquisadoras do ICBAS - Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar, em Portugal, constaram que os cachorros parecem sentir empatia pelas emoções humanas, tanto que os animais usados em terapias podem até adquirir as emoções de seus donos. De acordo com o estudo, os animais não copiam simplesmente as emoções que estão ao seu redor. Cães podem ficar chateados como uma criança quando criados em um ambiente familiar com brigas. E podem pedir por ajuda no caso de emergências, o que sugere certo grau de percepção e empatia.
Mas não é fácil enganar um cachorro. Em um experimento em que os donos dos animais fingiram um acidente ou um ataque cardíaco, os cães ficaram confusos e não prestaram socorro. Para as pesquisadoras, isso acontece porque o cão tem que sentir outros sinais, como cheiro e sons. Outro estudo mostrou que cachorros usados em terapias são afetados emocional e fisicamente por seu "trabalho", se beneficiando de massagens e outras práticas calmantes. 

De acordo com as cientistas, os cães são afetados pelas emoções humanas por que são descendentes dos lobo, caninos sociais, cooperativos e que sentem empatia por outros lobos. A evolução e a domesticação teriam feito com que os cachorros conseguissem sincronizar suas emoções ás humanas. Outro motivo seria a seleção artificial, que buscou animais cada vez mais inteligentes, e provavelmente capazes de "entender" melhor as pessoas. 
Segundo o Discovery News, mais pesquisas devem ser realizadas para entender a origem do comportamento canino, as diferenças entre raças e a possibilidade de treinamento para essas habilidades emocionais.
Fonte: Revista Galileu




Holanda terá polícia para combater casos de crueldade animal


AP
Partido holandês vê fazendas industriais como grande problemaA Holanda ganhará nos próximos meses a primeira força policial do mundo para combater casos de crueldade contra animais.
O projeto foi aprovado pelo governo holandês em outubro do ano passado, mas não foram divulgados detalhes sobre como a força irá funcionar. Uma data para início da aplicação ainda não foi estabelecida.
A criação da força policial foi proposta pelo Partido para os Animais, que conseguiu entrar em 2006 para o Parlamento holandês, onde tem dois representantes.
Em princípio, a polícia animal será formada por 500 agentes policiais que perderam seus empregos devido a cortes no orçamento do governo.
A parlamentar e líder do Partido para os Animais, Marianne Thieme, disse à BBC Brasil que este número é suficiente apenas para cuidar dos casos de maus tratos contra animais domésticos, e não para aplicar a lei em grandes fazendas industriais.
De acordo com a parlamentar, a indústria alimentícia é o grande problema em relação à crueldade contra animais na Holanda, principalmente em termos de transporte de cargas vivas e de acondicionamento.
"Temos 450 milhões de animais abatidos todo ano, que estão tanto em pequenas jaulas quanto em grandes depósitos, onde se amontoam, por exemplo, 100 mil galinhas juntas, sofrendo crueldades terríveis", disse Thieme.
Divulgação
Thieme defende mudança nas leis e maior preparo dos promotores
Ela também afirma que os animais selvagens são outras vítimas de maus tratos na Holanda, devido à caça. Thieme diz que, afora os animais que são mortos, muitos outros ficam feridos em acidentes e acabam morrendo depois de muito sofrimento.
Thieme diz que mesmo os animais domésticos são alvo de maus tratos sistemáticos no país. Segundo ela, os filhotes de cães e gatos que são comercializados ficam por muito tempo confinados em pequenas jaulas escuras, de maneira ilegal e insalubre.
A parlamentar acredita que, além de criar uma nova força policial, é necessário implementar leis mais específicas de proteção aos animais, bem como ter promotores mais bem informados e treinados sobre casos do tipo.
"Hoje, 90% dos casos de crueldade contra animais na Holanda são rejeitados pelos tribunais, em boa parte devido ao despreparo dos promotores", afirma a parlamentar.

Vai um Pitoco aiiii gente???

Deu pra ti
Baixo astral
Vou pra Porto Alegre
Tchau!
Quando eu ando assim meio down
Vou pra Porto e bah! Tri legal...


Como não posso fazer o mesmo que Kleiton e Kledir fariam no caso de estar meio down, resolvi usar o mundo virtual para descontrair um pouquinho. Me deparei com esse vídeo, achei uma gracinha é resolvi compártilhar com vocês.
Espero que gostem!!

quarta-feira, 16 de março de 2011

Dois cães desafiam tsunami no Japão

ARAHAMA, Japão - 
Após o terremotono no Japão na sexta-feira soa o alerta de tsunami , Masaki Kikuchi sobe correndo as escadas para pegar sua filha que estava dormindo de 12 anos de idade antes da corrida para escapar da correnteza. 
No quintal amarrado a um pequeno galpão, Kikuchi deixou dois cães: Towa, um Sheltie dois anos de idade e melodia, de um ano de idade Golden Retriever.. Kikuchi assistia o gigante tsunami que destruiu casas de seus vizinhos e levada para longe os seus carros, provavelmente morto Towa e Melody também.
Mas Towa e Melody tinham outras intenções, à de lutar por suas vidas. De alguma forma soltaram-se das cordas  e correram para as escadas ao ar livre seguindo para o segundo andar da casa de Kikuchi.  
"Eu não sei como eles sobreviveram", disse Kikuchi.
 Kikuchi aventurou para fora do centro de evacuação onde sua família se reuniu ileso. Ele andava com botas de borracha nas estradas cobertas de escombros ainda coberto com água da enchente, com os pés afundando na lama espessa abaixo.
Quando ele finalmente chegou à casa, driblando um carro que havia bloqueado a entrada da garagem, ele podia ouvir os latidos.
Deu-lhes água, comida e trouxe-os para dentro depois de limpar-los.
Kikuchi sabia que sua filha mais velha gostaria de ver Towa e Melody,  na segunda-feira os dois decidiram fazer o mesmo percurso por estradas cobertas de lama grossa."Aqui é onde eu andava  todos os dias", disse ela.
 Tão logo Kayo Kikuchi, 20, entrou na garagem, Towa saltou e começou a arranhar a porta. Ela abriu a porta e Sheltie com a pele salpicada de lama ainda pulou na perna dela geralmente reservado, latia animadamente de dentro.
 Kikuchi e sua filha disseram que vão voltar todos os dias para cuidar dos cães, mas eles não vão levar os cães para o abrigo.
 "Há muitas pessoas mortas e isso é pedir muito para trazer os cães", disse Masaki Kikuchi. "I." "Seria imprudente para a tristeza das outras pessoas." 
 Para saber mais sobre esta história, acesse o Wall Street Journal .

Filhotes de cães salvos pelo gari minutos antes de serem triturados.

José Carlos Silva e Renaldo Calciator encontraram os filhotes momentos antes de ligarem o triturador.
José Carlos Silva e Renaldo Calciator encontraram os filhotes momentos antes de ligarem o triturador
Foto:Coobea / Divulgação
Depois de jogar uma mala na traseira do caminhão de lixo, o gari José Carlos Silva, mais conhecido como Lagoa, se encaminhou para coletar a próxima pilha de entulho no Morro da Caeira, na manhã desta segunda-feira, em Florianópolis.

Pouco antes de o triturador ser ligado, os ganidos vindos de dentro do objeto fizeram Lagoa parar o trabalho. Ao abri-la, o funcionário encontrou cinco filhotes de cão.

— Era um procedimento de rotina. Ao jogar a mala e ouvir os gemidos que percebi que tinha algo vivo lá dentro — explica Silva.

Muito desidratados, os filhotes, com cerca de 60 dias de vida, foram encaminhados para a Diretoria do Bem Estar Animal. Sob os cuidados dos tratadores, receberam água, ração e vacinas. Um deles, porém, morreu poucas horas depois de chegar. Os quatro sobreviventes devem permanecer agora no Centro de Zoonoses, no Itacorubi, até que alguém os adote.

— Eles chegaram aqui muito debilitados. É horrível pensar que alguém os deixou naquela mala para morrer de sede ou triturados — diz Maria da Graça Dutra, responsável pela Diretoria do Bem Estar Animal.

Caso seja identificado, o autor do abandono pode ser preso por maus tratos aos animais e ficar preso entre três meses e um ano. Ainda na segunda-feira, duas caixas com filhotes de gatos abandonados foram recolhidas na Diretoria do Bem Estar Animal. Em uma delas, havia quatro felinos. Segundo Maria da Graça, o recomendado é que se castrem os animais para evitar o abandono posterior dos filhotes.

— Não adianta de nada nós ajudarmos os animais que chegam se não houver um controle na reprodução. É muito provável que a mãe destes animais tenha mais alguns filhotes dentro de pouco tempo — conta Dutra.

Adoção

Gari há 25 anos, Lagoa conta que não é raro encontrar animais durante a coleta de lixo. Bichos mortos também são colocados juntos ao entulho. Ele relata que muitas vezes consegue alguém para cuidar dos bichinhos, mas desta vez resolveu repassar para a Diretoria do Bem Estar Animal.

— Eles eram muitos e seria difícil encontrar alguém para ficar com eles — conta.

Quem quiser adotar os filhotes, pode entrar em contato com a Diretoria do Bem Estar Animal no número (48) 3237-6890
Fonte: Leonardo Gorges | redacao@horasc.com.br









Cães de raça para adoção

Está à procura de um cão de raça para adotar. Não perca essa oportunidade. 

Cinqüenta cães de raça, fruto de comércio, precisam ser doados com urgência, ou serão sacrificados.
A criadora faliu e teve que deixar a casa alugada, onde morava, à revelia.
Os pobres cães foram 'alojados' emergencialmente.

As raças são:
- Cocker Americano (cores: preto, preto com branco, marrom e
preto com amarelo) - 47 ao todo (idade de 1 a 8 anos)
Obs.: estão falando em sacrificar os mais velhos!!! Depois de serem usados como fábrica de cães, terão esse fim!!!

- Chow-Chow - uma fêmea, dourada, 3 anos;

- Pastor suíço, branco, macho, 3 anos;

- Collie (Lassie) - fêmea, 3 anos.

Por favor, ajudem a divulgar!
Infelizmente, ainda a maioria dos seres humanos se preocupa em ter cães de raça!
Eles não
têm culpa de serem procriados para venda!
Os animais estão em Caucaia do Alto, próximo à Cotia e Embu das Artes.
Vamos fazer o possível para doá-los castrados.

Telefones para contato:
11-4241-5502, 9959-1609 com Cibele, ou
11-4704-6335 com Lígia
MESMO QUE VC NÃO TENHA INTERESSE EM ADOTAR NENHUM DELES, ENVIE AOS SEUS AMIGOS.


Cocker Americano

Collie - fêmea, 3 anos
Chow-Chow
Cocker Americano
Pastor suíço, branco, macho, 3 anos

Animais após o terrível desastre no Japão

Tive acesso a essas fotos através do álbum da Marli de Lucca que reside em São Paulo. Além de comovente nos faz enxergar outra realidade, muitas vezes confundida entre os povos orientais. Julgar quais os povos que cometem mais crueldade entre os animais não está em questão. Todos, sem exceção, cometem erros.
A meu ver,  se faz necessário,  uma mobilização mundial a respeito dos maus tratos. Tanto quanto se refere à matança de golfinhos, caça a baleias, touradas, farra do boi e por ai a fora.
Nesse momento é que percebemos que o instinto de preservação das espécies fala mais alto.
É preciso muita vibração positiva para os que ficaram,  com suas percas e dores,  para que possam recomeçar novamente o mais breve possível



Peixes tem consciência e sentem dor

Peixe dourado Foto: Aquariofilia
Para pesquisadores da Universidade de Queen's, em Belfast, quando os peixes são sujeitos a estímulos de dor uma fúria de mensagens neuronais são transmitidas ao telencéfalo a mesma região do cérebro onde os sinais de dor também são processados por animais e mamíferosO estudo foi feito com peixes dourados e trutas.
Agora, caiu por terra a desculpa dos pescadores de que os peixes não sofrem porque não sentem dor. Os pescadores sempre insistiram que o sistema nervoso das criaturas aquáticas é primitivo demais para que setissem dor de verdade. 
Pesquisadores estão pedindo que os peixe sejam tratados da mesma forma que mamíeros e aves.
Resultados semelhantes já foram obtidos em estudos com salmão atlântico, a carpa e o bacalhau. “Esses estudos demonstram que áreas superiores do cérebro estão implicadas na resposta do peixe a eventos potencialmente dolorosos e que sua resposta não é um simples reflexo”, explica Lynne Sneddon, da Universidade Chester, no Reino Unido.
Na Espanha pesquisadores conseguiram identificar uma área no cérebro do peixe dourado que parece servir a uma função similar à do sistema límbico, região no cérebro humano que se torna altamente ativa quando as pessoas passam medo ou dor.
Testes comportamentais confirmaram esses resultados: os peixes dourados cujas estruturas comparáveis ao hipocampo no telencéfalo foram cirurgicamente desabilitadas subitamente perdem seu sentido de orientação –assim como os mamíferos cujas regiões cerebrais correspondentes foram desconectadas.
Além disso, quando os pesquisadores colocam as seções comparáveis à amígdala do telencéfalo fora de ação, os peixes deixam de aprender com os choques elétricos. Isso prova que esses animais aquáticos supostamente insensíveis têm a estrutura necessária em suas cabeças para sentir medo e dor. “Apesar da estrutura e função do equivalente nos peixes ser mais muito que nosso sistema límbico, o fato que os cientistas descobriram a presença de estruturas similares é impressionante”, explica Victoria Braithwaite, zoóloga da Universidade Estadual da Pensilvânia.

Truta sendo puxada pela boca
Foto: Rio Côa

A pouco mais de 5 anos Braithwaite havia descoberto que há mais de 20 receptores em torno a boca das trutas, em torno da mesma quantidade de receptores que um homem possui na região genital. Isso quer dizer dizer puxar uma truta com um anzol pela boca seria o mesmo que puxar um homem pelas genitálias.
 
Estudos com as trutas mostram que elas demonstram muito mais do que reflexos. Uma truta que foi sujeitada a agentes químicos nocivos não deu atenção a uma torre de Lego colorida introduzida em seu tanque, apesar de normalmente evitar novos objetos, sugerindo que sua atenção estava dominada pela dor. Contudo, os peixes que receberam anestésicos simultaneamente demonstraram o grau usual de cautela em relação aos objetos estranhos –porque a morfina aparentemente eliminara a dor.
Agora os especialistas não apenas acreditam que os peixes são capazes de ter medo e dor, mas também sensações de prazer.
Por exemplo, a oxitocina –chamada frequentemente de “hormônio do amor”- também foi documentada nos peixes.
E o que dizer sobre os polvos que são capazes de abrir rascos difíceis se descobrirem que há delícias ali e que conseguem até fugir de tanques famosos por sua segurança?
Mas mesmo após todos esses estudos científcos, os defensores da pesca ainda defendem que  não foi nad prvado, pois apenas um córtex cerebral altamente desenvolvido como encontrado em mamíferos pode produzir uma consciência dos estímulos de dor registrados.
Acontece que para os especialistas a falta de córtex cerebral não parece mais ser uma razão suficiente para eliminar a possibilidade de consciência da dor. Neurologistas ocasionalmente relatam casos de pessoas que só têm metade do cérebro. Enquanto outros têm sinapses, esses indivíduos têm apenas fluido cerebral –e ainda assim muitas vezes são altamente inteligentes e bem adaptados socialmente. 
Podemos concluir que a única razao para os pescadores insistirem em contrariar as pesquisas é o medo de que sua "prática esportiva" seja "tosada".
Na Alemanha, por exemplo, a lei diz que só permite a pesca se for para a alimentação. Aqueles torneios em que os peixes são pescados, pesados e devolvidos à água foram proibídos devido ao sofrimento injustificável a esses aimais.

Fonte: Deborah Weinberg

terça-feira, 15 de março de 2011

Cães a espera de resgate em Sendai/Japão

Um vídeo de um canal de TV que foi ao ar em 14 de Março, está mobilizando ONG’s e protetores japoneses.
caes_arahama
A reportagem feita no bairro costeiro de Arahama, Sendai (Miyagi), é uma das áreas mais devastadas pelo tsunami do dia 11/03/2011.
arahama_ad

E em meios aos escombros, um cão vai de encontro ao repórter, dá algumas voltas e dá sinais que está a procura de água (a água que se vê na reportagem, além de estar cheia de detritos, também ainda esconde os corpos de pessoas e animais que não conseguiram se salvar da tragédia).
O cão tenta atrair o repórter, ele quer que o repórter veja que ele está protegendo outro cão que parece estar desfalecido, ele rodeia o amigo e o obriga a se mexer, para que o repórter veja que ele ainda está vivo e que precisa de ajuda.
Não há ainda informações se o repórter resgatou os cães, o que é pouco provável, mas os protetores japoneses já se mobilizarem e estão se dirigindo ao local, logo que a reportagem foi ao ar, para o resgate dos cães.
Tsunami–Cães a espera de resgate
Emanemos energias positivas e orações a todos os seres viventes que ainda esperam por ajuda e resgate, sem nos esquecer de todos aqueles que pereceram e que agora brilham no céu.
Fonte: http://muralanimal.blogspot.com

segunda-feira, 14 de março de 2011

Equipes de resgate estrangeiras fazem mutirão de ajuda no Japão


Maior parte dos estrangeiros vem da Rússia, Coreia do Sul e EUA.
Terremoto de magnitude 8,9 gerou tsunami que arrasou noroeste do país.


Centenas de estrangeiros, integrantes de equipes de resgate, estão em um mutirão para ajudar as vítimas do terremoto e do tsunami no Japão, mas a Organização das Nações Unidas (ONU) não planeja organizar uma operação maior de assistência se não for solicitada, disseram funcionários da ONU nesta segunda-feira (14).
Abrigos com centenas de milhares de sobreviventes precisam permanecer abertos por pelo menos três meses, informou o Comitê Internacional da Cruz Vermelha. O grupo registra 377 mil desabrigados em 2.500 locais montados em prédios públicos após o terremoto. Segundo a agência Kyodo, 450 mil pessoas sairam de suas casas.
Cães descansam no abrigo-escola de Setamai school em Sumita (Foto: Matt Dunham/AP)Cães descansam no abrigo-escola de Setamai school em Sumita (Foto: Matt Dunham/AP)
Equipes
Quinze equipes, muitas delas munidas com cães farejadores e equipamento pesado, estão agora atuando nas áreas afetadas no nordeste do país. A maior parte dos estrangeiros vem da Rússia, da Coreia do Sul e dos Estados Unidos.
O Japão luta para evitar um derretimento em uma usina nuclear depois da explosão de um reator e a exposição de bastões de combustível em outra, dias depois do terremoto e do tsunami devastadores que mataram ao menos 1.800 pessoas. Milhões de pessoas da região atingida pelo tsunami, ao norte de Tóquio, estavam sem energia elétrica e água. O primeiro-ministro Naoto Kan disse que o país vive a sua pior crise desde a Segunda Guerra Mundial.
Navios de guerra norte-americanos, incluindo o porta-aviões USS Ronald Reagan, chegaram para ajudar nos esforços de assistência.
Uma equipe de resgate sul-coreana com 102 integrantes partiu para o Japão na segunda-feira a bordo de três aviões de carga C-130 da Força Aérea. Eles iriam para Fukushima, onde está localizada uma usina nuclear atingida pelo terremoto, 240 quilômetros ao norte de Tóquio.
Frio 
Muitos sobreviventes passaram outra noite gelada em abrigos pela cosya. Ao menos 2 milhões de casas estão sem energia, segundo o governo. Pelo menos 14 milhões estão sem água.

O governo japonês enviou dezenas de milhares de soldados para procurar por sobreviventes em meio a preocupações de que o número de mortos no terremoto e tsunami pode chegar a dezenas de milhares.
A ONG Médicos Sem Fronteira tem dez profissionais em campo, divididos em três equipes, que conduzem clínicas móveis e avaliações das necessidades médicas na província de Miyagi.
Fonte: G1

domingo, 13 de março de 2011

Tsunami - Documentário pela National Geographic Wild

Mais uma vez o Tsunami, a fúria da natureza, choca o mundo atingindo o Japão.
O Tsunami tem sido o assunto de todos os meios de comunicação e principalmente das redes sociais.
E se você não viu, vale à pena assistir esse documentário realizado pelaNational Geographic Television (um canal da FIC Portugal dedicado à natureza dando um olhar ao seu lado mais selvagem) sobre o Tsunami.

DOCUMENTARIO 
Nat Geo Wild parte I

parte 2

parte 3

parte 4

parte 5

Vegetarianos não podem adotar


Um casal de vegetarianos da ilha grega de Creta foi impedido de adotar uma criança por "dúvidas" quanto aos seus hábitos alimentares. Spyros Epitropakis, chefe do departamento de assuntos sociais de Creta, justifica a recusa de permitir a adoção pelo casal vegetariano pois isso levanta dúvidas sobre o bem-estar da criança.
"Não descriminamos ninguém mas precisamos de obedecer aos regulamentos. O caso está nos tribunais, que tomarão a melhor decisão. Epitropakis justifica a recusa com uma consulta ao laboratório médico da Universidade de Creta, que confirmou que "a dieta de uma criança em crescimento precisa de incluír proteínas da carne, do peixe, etc.".
Opinião diferente tem Antonis Kafatos, pediatra e nutricionista, que afirma que "a dieta de uma criança necessita essencialmente de proteínas, mas estas não necessitam de vir diretamente da carne", considerando a decisão "irracional", e sublinhando que os pais já tinham afirmado que "não vão impôr a dieta vegetariana ao filho". A decisão judicial sai na próxima quarta-feira. A Grécia é um dos países com a mais baixa taxa de natalidade do mundo, e os obstáculos à adoção têm levado redes ilegais de tráfico de crianças estrangeiras a proliferar no país.
Fonte: http://bairrodooriente.blogspot.com

Gato espancado até a morte por candidato




Fotografias: The Sun

Um gato de estimação no Reino Unido foi brutalmente espancado até à morte por um antigo candidato do Partido Liberal Democrata ao Parlamento britânico. Mike Dixon (em cima), de 53 anos, atacou o seugato de estimação, Tipsy, com uma bengala, depois deste ter arranhado um dos seus netos. Dixon "perdeu a cabeça" e esmagou o gato na sua própria casa. O gato, que estava na família há cinco anos, não teve uma morte rápida; sofreu vários golpes e poderá ter morrido apenas meia hora depois do início do ataque. Sally, nora de Dixon, testemunhou o caticídio: "Depois do gato arranhar o menino, o Mike afirmou que o ia matar. Depois vi-o com a bengala na mão e a minha sogra entrou em pânico, gritando: 'não faças isso, Mike". Depois disso Sally diz ter ouvido pancadas no andar de cima da casa, parecia que Mike "estava a partir tudo". O liberal-democrata (?) voltou com um ar calmo e disse: "Matei o gato".

sexta-feira, 11 de março de 2011

DNA a menos fez homem ter cérebro maior que animais

Ausência de certas sequências de DNA seria o que nos torna humanos
O que nos torna humanos? O que nos separa dos animais? Segundo um grupo de cientistas dos Estados Unidos essa resposta não está naquilo que temos “a mais” que os animais. Está no que temos “a menos”.

Segundo a pesquisa, publicada na edição desta semana da revista científica internacional ‘Nature’, pequenos trechos de DNA que existem em chimpanzés e outros animais e que não existem em seres humanos são o que nos torna, de fato, humanos.

O DNA é composto tanto de pedaços de genes que “produzem” proteínas quanto de pedaços chamados “não-codificantes”. Esse segundo tipo controla a ação do primeiro. As sequências que “faltam” nos seres humanos em comparação com os animais são exatamente de DNA não-codificante.

Entre elas, está uma específica que controla um hormônio responsável pelo surgimento de pelos e espinhos no pênis de chimpanzés e roedores. Sem ela, o órgão sexual masculino de seres humanos acabou diferente de outros animais. O fato de o pênis humano não ter espinhos é uma das razões pelas quais os cientistas acreditam que o Homo sapiens acabou desenvolvendo a monogamia.

Outra sequência “faltando” em humanos fica perto de um gene que controla a morte de neurônios para evitar o surgimento de tumores no cérebro. Sem ela, foi possível que o homem desenvolvesse um cérebro maior que o dos outros primatas.

De acordo com Gill Bejerano, da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, essas “perdas” de DNA aconteceram ao longo da evolução da espécie. Ao todo, a equipe identificou 510 sequências de DNA em chimpanzés e outros animais que estão ausentes em seres humanos.

Fonte: G1 

quinta-feira, 10 de março de 2011

Governador sanciona lei que proíbe uso de animais em circos

Lei foi publicada no Diário Oficial do Estado e entra em vigor a partir desta quinta-feira

Defensores dos direitos dos animais comemoram uma grande vitória nesta quinta-feira (10), em Alagoas. Isso porque a lei que proíbe a utilização de animais selvagens, domésticos, silvestres, domesticados ou exóticos em espetáculos circenses foi sancionada pelo governador Teotonio Vilela Filho e publicada no Diário Oficial do Estado desta quinta-feira (10).

Com o decreto, fica sendo crime a prática e exploração de animais em apresentações e shows em ambientes caracterizados como circos, sejam eles de pequeno ou grande porte. A lei vem sendo discutida desde março do ano passado, quando o governador assinou o projeto de lei junto ao Núcleo de Educação Ambiental Francisco de Assis (Neafa). 
 

A partir desta quinta-feira, fica sendo de responsabilidade das Secretarias de Estado da Defesa Social e do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos, além do do Instituto do Meio Ambiente de Alagoas (IMA), a fiscalização dos estabelecimentos e a aplicação das medidas administrativas e penais quando comprovada a utilização efetiva de animais em circo.

Caso sejam encontrados animais sendo utilizados nas apresentações circenses, o empreendimento deverá ter a sua licença imediatamente cancelada, se houver, ou a interdição de suas atividades.

Segundo o decreto, “deverão ser realizados convênios e/ou acordos de cooperação entre todos os órgãos constantes do decreto e entidades públicas ou privadas com condições de receber os animais apreendidos, dando-lhes tratamento veterinário adequado e albergando-os até o momento de serem devolvidos aos seus habitats naturais”.

No caso de o animal ser impossibilitado de viver novamente em seu ambiente natural, ele será disponibilizado para adoção ou encaminhado para instituição devidamente qualificada para recebê-lo.
Fonte: http://www.painelnoticias.com.br/